Sindireceita encaminha projeto de controle externo da RFB para presidente da CCJ no Senado

  A Diretoria Executiva Nacional do Sindireceita entregou ontem (31) ao senador Demóstenes Torres (DEM-GO), presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) no Senado, a proposta de elaboração do Modelo Normativo para o Conselho de Política e Administração Tributária, que estabelece mecanismos de controle externo para a Receita Federal do Brasil.

O presidente do Sindireceita, Hélio Bernades destacou que o Conselho tem como objetivo zelar pela moralidade, eficiência e eficácia dos órgãos que compõem esse setor, essencial ao funcionamento do Estado. Bernades também destacou que os últimos episódios envolvendo denúncias de violação de sigilo fiscal de contribuintes e, principalmente, o vazamento de informações reforçam a necessidade de criação de um mecanismo de controle externo nos moldes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que tem tido a atuação elogiada por diversos setores da sociedade. A proposta de controle externo da Receita Federal do Brasil também foi encaminhada para o senador Álvaro Dias (PSDB/PR).

 Denúncias 

Além de encaminhar o projeto de controle externo da RFB, o encontro com o presidente da CCJ também serviu para que a advogada do Sindireceita Maria Carolina dos Santos, que representa a Analista-Tributária Antônia Aparecida Rodrigues dos Santos Neves Silva, reiterasse a disposição da ATRFB em colaborar com as investigações conduzidas pela Corregedoria do órgão e pela Polícia Federal. No encontro também ficou acertado que ao final das investigações, caso haja interesse por parte da CCJ, a servidora poderá prestar qualquer esclarecimento. O objetivo do encontro com o presidente da CCJ foi reforçar as razões que impediram a servidora de aceitar o convite da Comissão. Por força do caráter sigiloso das investigações, a Analista-Tributária não poderia prestar esclarecimentos à Comissão. Ainda no Senado, o presidente do Sindireceita Hélio Bernades e a advogada se reuniram com o senador Álvaro Dias para reforçar os motivos da recusa apresentada pela servidora para não comparecer à Comissão. Na oportunidade, a advogada do Sindireceita reafirmou as declarações prestadas pela servidora que nega veementemente envolvimento em qualquer tipo de esquema, bem como ter acessado irregularmente os dados fiscais dos contribuintes citados e que o compartilhamento de uma das senhas necessárias para acessar o sistema deu-se única e exclusivamente em função do volume de trabalho.

 FONTE: SINDIRECEITA/DEN – COMUNICAÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.