Em defesa da paridade ANFIP oficializou o pedido de revisão do Termo de Acordo Salarial e ajuíza ação exigindo respeito a paridade

paridade_sempreXV EN: encerramento reafirma compromissos da ANFIP

Na última mesa de debates do XV Encontro Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil, realizada no sábado (11), em Rio Quente (GO), os conselheiros da ANFIP reforçaram a defesa da Entidade pela paridade entre ativos, aposentados e pensionistas e prestaram contas da atuação política da ANFIP no último período. O encontro aconteceu desde o dia 9, no Complexo do Rio Quente Resorts e reuniu mais de 600 participantes.

Em seu pronunciamento, o presidente Vilson Antonio Romero criticou o acordo remuneratório dos Auditores Fiscais – não assinado pela ANFIP, por não contemplar a paridade. “Sabemos que tem muitas forças lutando contrariamente a essa paridade. Nós estamos praticamente ilhados nesse combate. Quiseram criar uma forma mista de remuneração que, obviamente, afronta a Constituição”. Ele defendeu que qualquer mudança na forma remuneratória deve se estender aos aposentados e pensionistas. “Não abrimos mão do direito sagrado dos nossos associados à paridade. 94% dos Auditores Fiscais, dos 30 mil servidores da carreira, ingressaram anteriormente a 2003 e fazem jus à paridade Constitucional. Quem quer rasgar isso, o faz. Mas nós não podemos colocar em risco o conjunto de Auditores Fiscais. Temos uma luta continuada no Congresso Nacional para garantir esse direito”, ressaltou o presidente do Conselho Executivo. Romero informou que, no dia 3 de junho, a ANFIP oficializou o pedido de revisão do Termo de Acordo Salarial, firmado em março, por meio de mensagem conjunta enviada à Presidência da República, à Casa Civil e aos Ministérios do Planejamento e da Fazenda. “Vamos continuar na luta pela paridade entre aposentados, ativos e pensionistas”. A ANFIP também ajuizou, na sexta-feira (10), Mandado de Segurança contra as autoridades coautoras do acordo salarial, pedindo liminar para que o documento e os atos dele decorrentes respeitem a paridade. “Vamos enfrentar isso com a energia de todos, e sempre defendendo não só o aposentado e o pensionista, mas, definitivamente, a dignidade do integrante de um aparelho de Estado, que é remunerado por subsídio, e, acima de tudo, a preservação da paridade”, enfatizou.

O presidente ainda agradeceu todos os ex-presidentes da ANFIP que ajudaram a construir a trajetória dos 66 anos da Entidade, citando Álvaro Sólon de França, Margarida Lopes de Araújo e Jorge Cézar Costa, “que conduziram brilhantemente a ANFIP”.

Fonte: ANFIP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.