Entrevista do Secretário Marcos Cintra evidencia a quebra da paridade dos aposentados através do Bônus de Eficiência.

O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, durante entrevista em seu gabinete, em Brasília
O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, durante entrevista em seu gabinete, em Brasília – Pedro Ladeira/Folhapress

“…Os equívocos da Folha na análise do bônus de eficiência ficam ainda mais evidentes ao se verificar que o acordo firmado pelos auditores fiscais com o extinto Ministério do Planejamento em 2015/2016 estabelece itens tais como: fim da progressão funcional e da promoção na carreira de forma automática; quebra da paridade dos aposentados, uma vez que os inativos e pensionistas não recebem o valor do bônus integralmente; remuneração condicionada à produtividade, submetendo-se, inclusive, aos riscos associados ao não alcance de metas, e, consequentemente, não recebimento dos valores…”

Confira a entrevista no link da Folha de S. Paulo:  

https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2019/07/merito-e-produtividade-no-setor-publico.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *