“Operação Trapos”: PF e Receita Federal deflagram operação contra contrabando de mercadorias em MS e SP

rf_pfA Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram na manhã desta quinta-feira (3) a “Operação Trapos” para desarticular associação criminosa especializada nos delitos de contrabando e descaminho. Aproximadamente 110 policiais federais e servidores da Receita Federal estão em diligências nas cidades de Corumbá, Dourados, Campo Grande, Birigui (SP), Araçatuba (SP), Sorocaba (SP) e Penápolis (SP).

Eles cumprem 12 mandados de prisão preventiva, 15 mandados de condução coercitiva e 21 mandados de busca e apreensão. Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Federal, o grupo composto por brasileiros, bolivianos e equatorianos, sediados principalmente nos municípios de Corumbá e Birigui, especializou-se na importação, de forma clandestina, de mercadorias da Bolívia, contando com a facilitação de um servidor da Receita Federal do Brasil, destinadas à comercialização em outras cidades dos estados de Mato Grosso do Sul e de São Paulo. Esse servidor foi preso e levado para a sede da Polícia Federal de Corumbá.

Durante a investigação, que contou com a cooperação da Inspetoria da Receita Federal de Corumbá, foram realizadas oito prisões em flagrante e apreendidas aproximadamente 20 toneladas em mercadorias de descaminho ou contrabando, cujo valor foi estimado em cerca de 1 milhão e 750 mil reais, e ainda 700 pássaros silvestres de origem peruana.

Além dos mandados de prisão e de busca e apreensão, também foram determinadas a suspensão das atividades de uma empresa transportadora, sediada em Corumbá, e a suspensão do exercício das funções públicas do servidor da Receita Federal, todos expedidos pelo juízo da 1ª Vara Federal de Corumbá.

Os investigados foram indiciados por associação criminosa, contrabando, descaminho, facilitação ao contrabando descaminho, prevaricação, corrupção ativa, falsidade ideológica e tráfico internacional de animais.

A Operação Policial teve início no final de 2014 e receberam o nome “Trapos”, em alusão às mercadorias importadas clandestinamente pelo grupo, em sua maioria, peças de vestuário.

Fonte: O Estado On Line

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.